¡Con mi pernil no te metas!

“El pernil del pueblo es sagrado como nostro comandante eterno, no sé qué te está pasando que ahora te aliaste con el Cerdo mayor de a Casa Branca para joder a revolucao bolivariana..” Imagen tomada de la web; sin menoscabo de los derechos de su autor.

¡Mira portu, te lo voy a decir muy claro y en portuñol! Con eu pernil del pueblo socialista, castromadurista y antimperialista nou te metas, si quieres conservar as panaderias en Venezuela.

El pernil del pueblo es sagrado como nostro comandante eterno, no sé qué te está pasando que ahora te aliaste con el Cerdo mayor de a Casa Branca para joder a revolucao bolivariana, recuerda que es muito bolívar forte que te llevaste para Funchal, Lisboa y Porto, y agora vais no pagar con esa traicao.

Recuerda que están os supermercados lusitanos apertos por decisao del robusto guasao y no queremos cerrarlos como aconteceu con o bicentenario, no queremos mais fracasos, con os que tenemos no petrolio es mais que suficente. No queremos que a tua Amalia le cante este fado de adeu a este pueblo que te ama, aún sin pernil por a tua culpa capitalista:

Foi por vontade de Deus
Que eu vivo nesta ansiedade
Que todos os ais são meus
Que é toda minha a saudade
Foi por vontade de Deus

Que estranha forma de vida
Tem este meu coração
Vive de vida perdida
Quem lhe daria o condão
Que estranha forma de vida

Coração independente
Coração que não comando
Vive perdido entre a gente
Teimosamente sangrando
Coração independente

Eu não te acompanho mais
Pára, deixa de bater
Se não sabes onde vais
Porque teimas em correr
Eu não te acompanho mais

Se não sabes onde vais
Porque teimas em correr
Eu não te acompanho mais

por Enrique Viloria Vera

No se admiten más comentarios